14 de jun de 2019

Poesia: Seus Defeitos































Seus Defeitos

Quando você me olha
meu corpo passivo implora
desligar-me de mim
por poucas horas.
E em ti ser mais eu,
ser céu em frágil véu 
que consolável cobre 
o frescor que te consome.
Escondendo seus medos
E toda sua falta de jeito,
De incontáveis imperfeições,
As quais aceito incondicional
Como qualquer de seus defeitos.

Jorge Jacinto da Silva Jr.
jorge.jacinto@gmail.com





11 de jun de 2019

Poesia: Fêmea Galáctica




























Fêmea Galáctica

Eu vou desabrochar...
Sou fêmea,  sou botão,
Logo serei a flor
Que perfuma o seu ar.
Da chuva sou o trovão,
O qual seu céu iluminará.
Intensa sou assim mais eu,
E quando somente sua
Visto-me da Lua e
Estarei completa e inteira.
Íntegra como uma estrela
No espaço de tantos planetas 
Dedicada somente a te amar.

Jorge Jacinto da Silva Jr.
jorge.jacinto@gmail.com




28 de mai de 2019

Poesia: Novo Começo



























Novo Começo

Um novo começo,
É um momento
Que eu reconheço,
O qual seja perfeito,
Para um perfeito
Recomeçar.

Jorge Jacinto da Silva Jr.
jorge.jacinto@gmail.com







27 de mai de 2019

Poesia: Entender a Morte





























Entender a Morte

Precisamos compreender
Melhor a morte e assim
Suas várias barreiras quebrar, 
Pois a Terra é nossa Escola
E o Céu nosso Lar.

Jorge Jacinto da Silva Jr.
jorge.jacinto@gmail.com





24 de mai de 2019

Poesia: Camuflagem





























Camuflagem

Mágoa é caminhar
Sem para os lados e
Para frente olhar.
É fixar os olhos
No maltratado passado
Que está camuflado
De muitos falsos atalhos.

Jorge Jacinto da Silva Jr.
jorge.jacinto@gmail.com




22 de mai de 2019

Poesia: Exemplo Vivo




























Exemplo Vivo

Da imaturidade
É um exemplo vivo:
Onde acha isso bonito, 
Por qualquer coisa
Que não aceite,
Fechar-se sempre de bico?

Jorge Jacinto da Silva Jr.
jorge.jacinto@gmail.com




20 de mai de 2019

Poesia: Invasão




























Invasão

Quando tento explicar
Meu jeito de amar, me calo!
Talvez pelo sentir para mim ser,
Muito mais forte que as ações
Onde com meus desejos invado.

Jorge Jacinto da Silva Jr.
jorge.jacinto@gmail.com




16 de mai de 2019

Poesia: Fuga de mim




























Fuga de mim

Toda vez que você foge
Não mais me envolve.
O carinho no coração  morre.
Aumenta o sentimento de perda
Como uma eletrificada cerca,
Certa de sua função problema,
De afastar-te como brincadeira,
A qual nunca brincar eu permiti.
Esconder-me da vida prometida 
E fugir ainda mais de mim.


Jorge Jacinto da Silva Jr.
jorge.jacinto@gmail.com


13 de mai de 2019

Poesia: Cromossomos

















Cromossomos

Cromossomos a mais,
Cromossomos a menos.
Como somos, somos. 
Como sonhos somos.
Somos aqui reais,
Mesmos em diferenciais,
Somos todos iguais
A todos que somos.

Jorge Jacinto da Silva Jr.
jorge.jacinto@gmail.com





10 de mai de 2019

Poesia: Colo de Mãe






















Colo de Mãe

Mãe por si só já se faz abrigo,
E como pássaros longe do ninho
Voamos com nossos sonhos por ter
A ávida certeza de pertencer 
Ao hoje ser humano seguro,
Das coisas da vida e das coisas do mundo.
E mesmo quando há a insegurança,
Do meu equilíbrio faz-se balança.
Sinto o carinho materno do seu colo,
Mesmo não sendo mais onde choro,
Mas ajuda-me a combater meus confrontos,
Todavia para mente me trás o conforto,
Mostrando-me o lindo caminho em sua fortaleza,
E se um dia a vida me penalizar será da minha chegada a certeza.

Jorge Jacinto da Silva Junior
jorge.jacinto@gmail.com





9 de mai de 2019

Poesia: Formas de Controle




























Formas de Controle

Toda forma de controle gera,
Controladores e controlados
E em sua maioria custa caro,
As chances de escolherem-se
Pacificamente seus lados.

Jorge Jacinto da Silva Jr.
jorge.jacinto@gmail.com









8 de mai de 2019

Poesia: Incompreensão



























Incompreensão

A incompreensão é um amargo veneno,
A qual quando na sua procura da cura
Mais perto de envenenarmos estamos.
Afundamo-nos em simples perguntas,
Nos confundimos em diversos enganos,
Convivendo questionadores  deste perigo
Ao invés de muitas vezes sermos generosos,
E simplesmente aceitar o incompreensível. 

Jorge Jacinto da Silva Jr.
jorge.jacinto@gmail.com