27 de fev de 2014

Poesia: Caminho Reto


























Caminho Reto

Somente dois são os pontos certos.
A partida e o momento de chegada.
Recordações fazem parte do trajeto,
Mas disso tudo não se leva nada.
Nem tão pouco esta pesada bagagem.

O cansaço não me prevalece nem um instante.
Meus objetivos são concretos e sou persistente.
A justiça que procuro é a capacidade consoante,
Em dar ao outro o que merece de forma competente.
E nisso, não há tempo para contemplar a paisagem.

Não se pode deixar que cresça a esperança
Muito maior do que a gente perceba o perigo.
É esta inteligência simples e verdadeira
A qual interliga todos os seres vivos.
Por isso, não fique a sabotar seus sonhos.

Garanto unívoco, que dos caminhos para se trilhar,
Não importa o que aconteça e quanto evoluímos,
São nos obstáculos para se ultrapassar
Que encontramos os ombros dos verdadeiros amigos,
E neste descansar que assim me recomponho.

Vejo, que aprendemos com isso muito mais
Na humildade de nosso silêncio inocente
Às palavras sem rumo de cunhos fatais.
Fúteis devem ser ignoradas de forma consciente.
Pois, o certo sempre será o caminhar reto.


Jorge Jacinto da Silva Jr







25 de fev de 2014

Poesia: Barco de Papel





Barco de Papel

Vou
Ao Porto seguro
Dos braços do meu Amor
Um balançar de marola onde a gente namora
Maduro, navego buscando em você o farol para me guiar na escuridão
Sem bússola para orientar algumas vezes vou navegando contente
Sempre consciente por saber onde parar para descansar
Navego o mundo em mim e assim vivo

Jorge Jacinto da Silva Jr.