23 de ago de 2011

Poesia: VINTE E CINCO HORAS


 
Vinte e Cinco Horas



Penso como sobreviver aqui

No vazio dentre quatro paredes,

Sem saber ao certo se sentes

O mesmo que eu sinto por ti.



Nesta reflexão da vida decidi,

Que desisto de desistir de você.

Motivos os quais nem eu mesmo

Consigo explicar os porquês.



E no dia de agora, quando te peço

Para de minha vida ir embora,

Ainda te odeio por cinco segundos

Mas te amo por vinte e cinco horas!



Autor: Jorge Jacinto da Silva Junior



VINTE E CINCO HORAS - comentários do autor

Vinte e Cinco Horas, é um dos meus poemas mais recentes, mesmo porque, cada poema parece nascer diferente a cada dia que os releio. Neste, tento demonstrar como o Ódio e o Amor andam tão intimamente ligados.

Abraços,
Jorge.


"O amor está mais perto do ódio do que a gente geralmente supõe. São o verso e o reverso da mesma moeda de paixão. O oposto do amor não é o ódio, mas a indiferença..."

Érico Veríssimo


CARTÃO POESIA
(CLIQUE NA IMAGEM PARA AMPLIAR)