13 de nov de 2015

Poesia: Cata-ventos



















Cata-ventos 

Com Amor na vida se cria
Da esperança suave brisa
Que delicada frenética gira
Como sem compromissos. 

Do ágape incontido
Feito do colo abrigo
Protege dos perigos
Do livre movimento.

Como um cata-vento levando
Agita-se conturbando planos
Misturando-se todas as cores
De nossos mais íntimos sonhos. 

Jorge Jacinto da Silva Jr.


11 de nov de 2015

Poesia: Falta de Decisão















Falta de Decisão

Acabamos nos rendendo a lamentos, 
Porque sempre buscamos uma explicação. 
Contudo, Não podemos culpar ao tempo 
Por nossa frequente falta de decisão. 

Jorge Jacinto da Silva Jr.





Poesia: Meio a Loucura

















Meio  a  Loucura 

O Amor no meu entendimento é... 
Viver juntando avulsos fragmentos. 
Contudo, é no meio desta loucura 
Que intimamente me entendo. 

Jorge Jacinto da Silva Jr.










10 de nov de 2015

Poesia: Promessa de Segundos
























Promessa  de  Segundos 

A procura é demais complicada. 
Vejo na imensidão do mundo
Parecer que em cada olhar,
Há uma promessa de segundos.

Jorge Jacinto da Silva Jr.


Poesia: Suspeitas
















Suspeitas 

Tudo que é inesperado gera suspeita 
Que nos abraça com vigor a desatinos, 
Talvez seja este o motivo de muitos, 
Não acreditarem em seus destinos.

Jorge Jacinto da Silva Jr.





9 de nov de 2015

Poesia: A Paixão

























A Paixão 

A Paixão um dia acaba, 
E se cala numa maldade.
Vira Amor ou termina
No fim como Saudade. 

Jorge Jacinto da Silva Jr.
jorge.jacinto@gmail.com





Poesia: Sua Boca














Sua Boca 

Não vejo a maldade 
Porque nela até mentira 
Tem o som da verdade 

Jorge Jacinto da Silva Jr.





Poesia: Presos à Estrada





















Presos à Estrada

É muito fácil falar quando sobram as palavras.
O difícil é explicar em nossa ingenuidade,
O que nos mantem  presos a esta estrada,
Mesmos dispostos a não calar nossas vontades.

Jorge Jacinto da Silva Jr.