17 de out de 2017

Poesia: Foco na Vida












Foco na Vida

Vivamos olhares mais comprometidos.
Aceitemos que nos façamos mais felizes,
Cuidando de nossos próprios umbigos.

Jorge Jacinto da Silva Jr.
jorge.jacinto@gmail.com



10 de out de 2017

Poesia: Verdadeiro Choro

























Verdadeiro Choro

Aprendi com a vida que, 
Não Importa o que for,
O verdadeiro choro
É somente o de dor.

Jorge Jacinto da Silva Jr.
jorge.jacinto@gmail.com




Poesia: Vergonha na Cara
















Vergonha na Cara

Por tantos momentos sinto a falta
E a saudade como choro me fala.
Contudo, é assim que a vida segue,
Cabeça erguida e vergonha na cara.

Jorge Jacinto da Silva Jr.
jorge.jacinto@gmail.com



9 de out de 2017

Poesia: Senso de Justiça













Senso de Justiça

Seja um teste que enfrentemos.
Quanto mais justos somos,
Mais cobrados seremos.

Jorge Jacinto da Silva Jr.
jorge.jacinto@gmail.com



2 de out de 2017

Poesia: Comedimento

























Comedimento

Nem tanto ao céu,
Nem tanto à terra.
O equilíbrio da razão
E nossos sonhos,
Está na capacidade
De nossa espera.

Jorge Jacinto da Silva Jr.
jorge.jacinto@gmail.com

28 de set de 2017

Poesia: Liberdade Plena

























Liberdade Plena

Gostaria de acreditar
em liberdade plena, 
Mas ao ar até uma pena,
Segue a direção do vento.

Jorge Jacinto da Silva Jr.
jorge.jacinto@gmail.com

27 de set de 2017

Poesia: Mergulho de Cabeça

























Mergulho de Cabeça

Antes de mergulhar de cabeça
Deve-se sempre ter a prudência,
Mesmo que não persista o medo,
Da profundidade de nossos desejos.

Jorge Jacinto da Silva Jr.
jorge.jacinto@gmail.com



26 de set de 2017

Poesia: Abajur


























Abajur

Não quero estar apenas
Quando puder me querer.
Ficar com você a noite inteira,
Como um abajur de cabeceira
Deixado num canto esquecido,
Cedendo vontades tão somente
De seus desejos femininos.

Jorge Jacinto da Silva Jr.
jorge.jacinto@gmail.com






Poesia: Rabiscos






















Rabiscos

Viver sem riscos,
No Livro da Vida,
Apenas rabiscos.

Jorge Jacinto da Silva Jr.
jorge.jacinto@gmail.com




25 de set de 2017

Poesia: Toda Alegria do Mundo

























Toda Alegria do Mundo

Reconheço simples quem
Vem ao longe.
São os contornos de
Seu corpo em movimento.
O jeito de seu caminhar
causa-me um leve sorriso de lado.
Não que ache estranho ou engraçado,
Pois é encantador, mágico e profundo,
Uma vez que, transforma antes tudo
Triste em mim,
Em toda alegria do mundo.

Jorge Jacinto da Silva Jr.
jorge.jacinto@gmail.com



22 de set de 2017

Poesia: Entusiasmo

















Entusiasmo

Vivamos criativos
Desbravadores do mundo
Nesta fertilidade mental
Com uma alma aberta
Em um habitar fecundo.

Jorge Jacinto da Silva Jr.
jorge.jacinto@gmail.com

20 de set de 2017

Poesia: Sol de Solidão
























Sol de Solidão 

Até na SOLidão 
Há um Sol para olhos
Que querem ver e sentir
A Luz de um novo dia
Brilhar dentro de si. 

Jorge Jacinto da Silva Jr.
jorge.jacinto@gmail.com

18 de set de 2017

Poesia: Nudes

























Nudes

Um pouco de mim,
Em mim se confunde.
Completo-me no fim
Em Alma Nudes.

Jorge Jacinto da Silva Jr.
jorge.jacinto@gmail.com

15 de set de 2017

Poesia: Para Sempre

















Para sempre

Bom chegar de mansinho
Este é o melhor caminho
Para certo e eterno ficar

Jorge Jacinto da Silva Jr.
jorge.jacinto@gmail.com




14 de set de 2017

Poesia: Breve




























Breve

Quase um dilema.
Na maioria das vezes
Um poema basta-se,
E se faz só com palavras
Simples e pequenas,
Como DOR e  AMOR.

Jorge Jacinto da Silva Jr.
jorge.jacinto@gmail.com




13 de set de 2017

Poesia: Estrada de Chão


























Estrada de Chão

Quanto tempo eu andei tão só.
Garganta seca deixada pelo pó
De uma estrada toda esburacada.
Caminho que não me levava a nada,
Somente conflitos internos que espalhei
Junto das lágrimas que solitário chorei.
Contudo fizeram por fim nesta poeira,
E ver por momentos uma nova clareira
E os olhos conseguiram assim se firmar
Na vida como percurso de leve caminhar.

Jorge Jacinto da Silva Jr.
jorge.jacinto@gmail.com





12 de set de 2017

Poesia: Amor Gourmet

























Amor Gourmet

Eu jamais vou
De nós me enjoar,
Até porque cada dia,
Seu amor tem
Um gosto diferente
Para se provar.

Jorge Jacinto da Silva Jr.
jorge.jacinto@gmail.com

11 de set de 2017

Poesia: Panglossiano





















Panglossiano

O brilho da esperança
Aos olhos estampados.
Que o hoje seja sempre,
Dia pelo amanhã invejado.

Jorge Jacinto da Silva Jr.
jorge.jacinto@gmail.com



4 de set de 2017

Poesia: Está no Olhar


























Está no Olhar

Ah mas se está assim...
Melhor deixar assim.
Duro é acreditar que
Às vezes não faz sentido.
Pode sim tudo estar
Virando um mal entendido
Mas seu olhar no fundo,
Mudou para mim.

Jorge Jacinto da Silva Jr.
jorge.jacinto@gmail.com

31 de ago de 2017

Poesia: Cafona















Cafona

Não quero ser da sua vida
Apenas um simples artefato,
Que ao tempo de tão cafona
Sempre me deixa de lado.

Jorge Jacinto da Silva Jr.
jorge.jacinto@gmail.com






24 de ago de 2017

Poesia: O Amanhã














O Amanhã

O contar do tempo é relativamente pobre,
Principalmente quando se envolvem
Sentimentos perdidos por tola inocência.

Apossa-se da nossa energia mais limpa e pura.
Alimenta-se insaciável da seiva de nossas dúvidas
E neste ciclo passa imperceptível à prudência.

Este amanhã pode ser tão breve que nem exista,
Mesmo que desejemos que ele eterno persista,
Viver é o agora deixando de lado motivos de fuga.

Neste momento o mundo todo está a mudar,
Não devemos sentir auto piedade e nos julgar
Como perdedores de tudo que não aceitamos a luta.

Mesmo que o novo venha com insegurança  no coração
Sendo passível de não entendermos possíveis frustrações,
Não há pressa quando a espera não se entrega ao cansaço.

Sei que um dia haverá  o compreender sem restrições.
Que o amor, por si próprio, explica-se em suas emoções,
Mas não necessariamente no domínio dos seus braços.

Jorge Jacinto da Silva Jr.
jorge.jacinto@gmail.com

23 de ago de 2017

Poesia: Súplicas


















Súplicas

Todavia sempre supliquei sua atenção.
Pensei com isso um dia ter seu entendimento,
E não virasse em mim motivo dessa obrigação,
De forçar-te a compreender este meu jeito.

Mas um dia entenderá talvez me procurando,
Onde jamais tentou ousar-se me procurar.
Deixei-te sinais de quanto está me perdendo,
Mas continua nada fazendo para me recuperar.

Jorge Jacinto da Silva Jr.
jorge.jacinto@gmail.com



21 de ago de 2017

Poesia: Amor e Dinheiro


























Amor e Dinheiro

Espaços na mente incompatíveis.
Quase água e óleo sem se misturar.
É dor de quando se entra o dinheiro,
Por outro lado deixa-se de amar. 

Jorge Jacinto da Silva Jr.
jorge.jacinto@gmail.com






18 de ago de 2017

Poesia: Algo como a Felicidade
























Algo como a Felicidade

A Felicidade é algo que pode
Ocorrer quase que despercebida
Contudo, ela jamais vem tarde.
Nunca se faz em nós tardia.

Vem de simples detalhes.
Aquele da espinha arrepiar,
Um estranho frio na barriga,
Um sorriso espontâneo no olhar.

É a certeza do aguardado aproximar
Do mais lindo dos sonhos sem medo.
A vida com braços largos  abraçar
Com carinho pleno e vivo aconchego.

É estar a debruçar nas janelas da alma,
E entender a verdade o quanto faz falta
Não perceber que é dentro de nós
Que a felicidade faz eterna morada.

Jorge Jacinto da Silva Jr.
jorge.jacinto@gmail.com

Poesia: Diamantes e Dinamites

























Diamantes e Dinamites

Por mais que
Não se acredite,
Amores são diamantes,
Amar dinamite.

Jorge Jacinto da Silva Jr.
jorge.jacinto@gmail.com


17 de ago de 2017

Poesia: Magoada

























Magoada

Desculpe-me por eu ser assim,
E não saber tão fácil trabalhar
Com o sentimento de mágoa
Que a tempos causou em mim.

Jorge Jacinto da Silva Jr.
jorge.jacinto@gmail.com


16 de ago de 2017

Poesia: Areia da Praia

























Areia da Praia

Sou da vida areia de praia.
Escreve em mim o seu nome.
E a lua que todavia o mar atraia
As altas ondas de sua ausência,
Que vem como lágrimas na vida
Com a saudade e a permanência
Do amor que vive de partida,
Que te leva sempre sem retorno
Deixando-me apenas escrito
Em meu corpo o relevo nítido
Do seu nome em meus contornos.

Jorge Jacinto da Silva Jr.
jorge.jacinto@gmail.com

9 de ago de 2017

Poesia: Plano Definido















Plano Definido 

Todo plano bem definido
Por mais que pareça concreto,
Não está posto como única verdade.
Jamais é solução sozinha
Tem que em si estar aberto,
As mais improváveis oportunidades. 

Jorge Jacinto da Silva Jr.
jorge.jacinto@gmail.com




8 de ago de 2017

Poesia: Eu e a Mágoa


























Eu e a Mágoa

Sou deste jeito que sou,
Não vou desaprender o amor
Só porque me magoou.

Jorge Jacinto da Silva Jr.
jorge.jacinto@gmail.com





7 de ago de 2017

Poesia: Essência

























Essência 

O Amor não somente é
Em tudo só aparências.
É um sentimento destilado.
Não do tipo que embriaga,
Mas que deve se filtrar
Até toda sua essência.

Jorge Jacinto da Silva Jr.
jorge.jacinto@gmail.com




4 de ago de 2017

Poesia: Cores


























Cores

Cor do céu,
Cor da Terra,
Cor dos olhos
Do amor que,
Em minha cor
Descolorida
Espera.

Jorge Jacinto da Silva Jr.
jorge.jacinto@gmail.com




3 de ago de 2017

Poesia: Sonhos Esquecidos


























Sonhos Esquecidos

Uma dor é não poder viver
O sentir sincero de tudo viver.
Ter a bela experiência quanto lindo
É balão inflado aos olhos fugitivo
Com sonhos antes  aprisionados
Em algum lugar onde de fato
Foram deixados ao abandono atroz
Por qualquer outro motivo maior 
Em um canto de notória solidão 
Intencional por própria decisão.

Jorge Jacinto da Silva Jr.
jorge.jacinto@gmail.com





2 de ago de 2017

Poesia: O Vento e o Seu Perfume





















O Vento e o seu Perfume

Movem-se em meu espaço impassíveis
Derrubando barreiras ao simples invisíveis
Nesta intensidade que nada perturba
Assim a rotina de minha vida muda
E que o vento sempre se acostume
Levando e trazendo-me seu perfume.
 
Jorge Jacinto da Silva Jr.
jorge.jacinto@gmail.com

Poesia: Dilema

























Dilema

Sinto-me indefeso
Quanto essas situações.
Parece que a fragilidade
De não querer discutir
Cria um leque de
Somente indecisões.

Jorge Jacinto da Silva Jr.
jorge.jacinto@gmail.com


1 de ago de 2017

Poesia: Um Outro Olhar



























Um Outro Olhar

Tudo aqui está tão diferente
Meu sorriso é mais contente
Neste outro jeito de olhar
Um introspectivo observar
É um vislumbre de um jeito
Que dentro do meu peito
Faz-se o carinho mais forte
Orienta-me cego a um norte
Que revive o que antes dor
Numa transmutação ao amor
Encontrei-me enfim por inteiro
Ser completo em mim mesmo.

Jorge Jacinto da Silva Jr.
jorge.jacinto@gmail.com

28 de jul de 2017

Poesia: Alma Serena

























Alma Serena

Em você eu amo,
Este viver  tranquilo,
Que me acalma
Sem me dar sono.

Jorge Jacinto da Silva Jr.
jorge.jacinto@gmail.com






27 de jul de 2017

Poesia: Boca Santa

























Boca Santa

A palavra  sempre traz consigo, 
Muito mais consequências
Do que imaginamos aos sentidos.

O que sai da boca é implacável!
Por isso não só de um bom dentista,
Que se faz uma boca saudável.

Jorge Jacinto da Silva Jr.
jorge.jacinto@gmail.com





26 de jul de 2017

Poesia: Torre de Babel

























Torre de Babel

Se assim for,
Para se perder
Nesta Torre de Babel,
Que seja falando
Minha língua.
O Amor.

Jorge Jacinto da Silva Jr.
jorge.jacinto@gmail.com




25 de jul de 2017

Poesia: Precisa-se de Loucos


















Precisa-se de Loucos

Ainda que sejam aos poucos
Como eu julgados de loucos
Dominados por esta boa energia
De buscar o que há de bom na vida
Apaixonados por este simples sentir
Mesmo em tudo que acham estar ruim.

Jorge Jacinto da Silva Jr.
jorge.jacinto@gmail.com




7 de jul de 2017

Poesia: Plantando Sonhos

























Plantando Sonhos

Não ficarei assim
Debruçado na janela,
Esperando e plantando sonhos,
Somente em meu jardim.

Jorge Jacinto da Silva Jr.
jorge.jacinto@gmail.com



5 de jul de 2017

Poesia: Bichinho de Estimação
















Bichinho de Estimação

A paixão é um
Bichinho de estimação,
Ou a alimentamos como
Um gatinho, ou ela,
Nos devora feito um leão.

Jorge Jacinto da Silva Jr.
jorge.jacinto@gmail.com





4 de jul de 2017

Poesia: Como Explicar a Solidão



















Como Explicar a Solidão

Algo que seu existir já dói.
Contudo, a solidão
Assim se explica:
O silêncio a constrói, 
Onde um vazio habita.

Jorge Jacinto da Silva Jr.
jorge.jacinto@gmail.com





3 de jul de 2017

Poesia: Mais um Adeus


























Mais um Adeus

Lágrimas que correm,
E o choro se engole.
É seguir agora em frente,
Sem mais falar o seu nome.

Jorge Jacinto da Silva Jr.
jorge.jacinto@gmail.com







29 de jun de 2017

Poesia: A Saudade






















A Saudade

Eu considero a saudade
Como um dos sentimentos
Que mais nos pertencem,
Pois é na solidão que ela
Se faz mais forte e presente. 

Jorge Jacinto da Silva Jr.
jorge.jacinto@gmail.com






28 de jun de 2017

Poesia: Opressão
























Opressão

É opressivo,
Quando as armas
Calam os gritos.

Jorge Jacinto da Silva Jr.
jorge.jacinto@gmail.com





27 de jun de 2017

Poesia: Tchau!

























Tchau!

Melhor assim... 
Tchau para você.
Tchau para mim.
Tchau para os seis.
Amor, Paixão
Ódio, desejos
Mágoa e querer.
Tchau para vocês.

Jorge Jacinto da Silva Jr.
jorge.jacinto@gmail.com










22 de jun de 2017

Poesia: A Pressa


















A Pressa

É inimiga da perfeição.
Cuidado com a pressa,
pois ela pode adiantar
Também o que não
A nós interessa 
Ao coração.

Jorge Jacinto da Silva Jr.
jorge.jacinto@gmail.com










21 de jun de 2017

Poesia: Altruísta
























Altruísta

Depois de,
Muito sozinho sofrer,
Assim o homem entendeu
Que o seu sacrifício,
Não pode se tornar
Tão somente seu.

Jorge Jacinto da Silva Jr.
jorge.jacinto@gmail.com



19 de jun de 2017

Poesia: Não Posso Chorar

























Não Posso Chorar

Algumas vezes na vida,
Faz a dor ter um sabor
Que salga a boca com lágrimas.

Não posso agora chorar
Sendo incoerente na lástima.
Porque estaria me traindo.

Na minha busca da felicidade,
Não posso eu ser o meu
Maior e certo inimigo.

Jorge Jacinto da Silva Jr.
jorge.jacinto@gmail.com



13 de jun de 2017

Poesia: Evolução

























Evolução

Uma hora eu sinto:
Amor ou Dor.
Mas é preciso sentir
Para em mim,
Meu EU SOU,
Minha alma evoluir.

Jorge Jacinto da Silva Jr.
jorge.jacinto@gmail.com