21 de dez de 2015

Poesia: Os Fracos











Os Fracos

Vivem sozinhos vagando
Perdidos e vazios por aí.
Porque fracos são assim
Pobres  no sentir.

Jorge Jacinto da Silva Jr.







17 de dez de 2015

Poesia: Paz em Mim

PAZ EM MIM



















Paz em Mim 

Tento assim buscar a paz 
E o entendimento em mim
De uma forma não arbitrária.
Talvez assim, evitar tantas batalhas 
Covardemente desnecessárias. 

Jorge Jacinto da Silva Jr.





Poesia: Definir Amar














Definir Amar

Definir o que é realmente Amar,
Isso foge de nossa competência.
O amor, poderia ter até explicação
E perder-se em limites sua essência.

Jorge Jacinto da Silva Jr.












15 de dez de 2015

Poesia: Planta Carnívora















Planta Carnívora

Se for para resolver, 
Se aborreça !!!
Melhor assim cortar
O mal pela raiz,
Antes que a Plantinha 
Carnívora cresça.

Jorge Jacinto da Silva Jr.




Poesia: Minha Outra Metade












Minha Outra Metade

Seus suaves beijos,
São minhas vontades
Em forma de desejos
De minha outra metade.

Jorge Jacinto da Silva Jr.






14 de dez de 2015

Poesia: Desequilíbrio Emocional
























Desequilíbrio Emocional

São tantas vezes lembranças,
Sentimentos fortes, cobranças.
Que chorar pode nos fazer bem.

O emocional mexe muito com a gente
Por isso devemos colocar para fora,
Soltar o que tudo de mal que nos prende.

Jorge Jacinto da Silva Jr.






11 de dez de 2015

Poesia: Prisão da Saudade













Prisão  da  Saudade

Leve... Bem leve... Levíssima.
Que assim se entenda!
A saudade pode ter asas,
não necessariamente,
âncoras ou algemas.

Jorge Jacinto da Silva Jr.

9 de dez de 2015

Poesia: Feito Mágica















Feito Mágica

É dos corações
Uma obra enigmática.
Como pode o amor
Em toda sua plenitude
Um dia não ser imune
E desaparecer feito mágica?

Jorge Jacinto da Silva Jr.



8 de dez de 2015

Poesia: Amor e Saudade














Amor e Saudade

Vivemos inquietos esta verdade.
Assim que nasce o amor, 
nasce com ele a saudade.

Jorge Jacinto da Silva Jr.



1 de dez de 2015

Poesia: Leve Pluma















Leve  Pluma

Leve que se leve
Suave comedido ao vento
Perpétuo e intenso
Assim como pensamento
Plumas de Amor.

Jorge Jacinto da Silva Jr.



27 de nov de 2015

Poesia: Desgastes















Desgastes

Como nos desgastamos...
Chega um ponto, uma hora,
Que aos poucos ficamos
Sem forças para seguir,
Não temos mais energia
Nem mesmo para explodir.

Contudo, assim é preciso
Prosseguir sempre adiante.
Sem pressa ou castigos
Para o corpo sozinho sentir.
É necessário persistir na vida
Viver o Amor para ser Feliz

Jorge Jacinto da Silva Jr.

26 de nov de 2015

Poesia: Dependência














Dependência

Devemos antes de tudo nos amar!
É agir com maturidade e inteligência.
Se não nos amamos não há amor,
É simplesmente dependência.

Jorge Jacinto da Silva Jr.




25 de nov de 2015

Poesia: Baques da Vida
























Baques da Vida

Tem horas que é assim e,
Precisamos dar um jeito.
Talvez enrijecer o coração,
Para que grandes baques
Não o quebrem por inteiro.

Jorge Jacinto da Silva Jr.




Poesia: Coragem
















Coragem

A Coragem é algo que nos
Surpreende e nos supera,
Pois sempre a descobrimos
Quando mais a precisamos dela.

Jorge Jacinto da Silva Jr.






17 de nov de 2015

Poesia: Poesia e Coisas Bobas
















Poesia e Coisas Bobas

Gosto de pensar como poesia. 
Levo minha vida desta maneira. 
Vivo e divirto-me nesta agonia 
Evita-me pensar outras bobeiras. 

Jorge Jacinto da Silva Jr.





13 de nov de 2015

Poesia: Cata-ventos



















Cata-ventos 

Com Amor na vida se cria
Da esperança suave brisa
Que delicada frenética gira
Como sem compromissos. 

Do ágape incontido
Feito do colo abrigo
Protege dos perigos
Do livre movimento.

Como um cata-vento levando
Agita-se conturbando planos
Misturando-se todas as cores
De nossos mais íntimos sonhos. 

Jorge Jacinto da Silva Jr.


11 de nov de 2015

Poesia: Falta de Decisão















Falta de Decisão

Acabamos nos rendendo a lamentos, 
Porque sempre buscamos uma explicação. 
Contudo, Não podemos culpar ao tempo 
Por nossa frequente falta de decisão. 

Jorge Jacinto da Silva Jr.





Poesia: Meio a Loucura

















Meio  a  Loucura 

O Amor no meu entendimento é... 
Viver juntando avulsos fragmentos. 
Contudo, é no meio desta loucura 
Que intimamente me entendo. 

Jorge Jacinto da Silva Jr.










10 de nov de 2015

Poesia: Promessa de Segundos
























Promessa  de  Segundos 

A procura é demais complicada. 
Vejo na imensidão do mundo
Parecer que em cada olhar,
Há uma promessa de segundos.

Jorge Jacinto da Silva Jr.


Poesia: Suspeitas
















Suspeitas 

Tudo que é inesperado gera suspeita 
Que nos abraça com vigor a desatinos, 
Talvez seja este o motivo de muitos, 
Não acreditarem em seus destinos.

Jorge Jacinto da Silva Jr.





9 de nov de 2015

Poesia: A Paixão

























A Paixão 

A Paixão um dia acaba, 
E se cala numa maldade.
Vira Amor ou termina
No fim como Saudade. 

Jorge Jacinto da Silva Jr.
jorge.jacinto@gmail.com





Poesia: Sua Boca














Sua Boca 

Não vejo a maldade 
Porque nela até mentira 
Tem o som da verdade 

Jorge Jacinto da Silva Jr.





Poesia: Presos à Estrada





















Presos à Estrada

É muito fácil falar quando sobram as palavras.
O difícil é explicar em nossa ingenuidade,
O que nos mantem  presos a esta estrada,
Mesmos dispostos a não calar nossas vontades.

Jorge Jacinto da Silva Jr.








6 de nov de 2015

Poesia: Infantil

























Infantil 

Pode me chamar de infantil... 
Isso não acho nenhum insulto.
Às vezes me sinto realmente 
Uma criança descobrindo o mundo.

Jorge Jacinto da Silva Jr.





5 de nov de 2015

Poesia: Passageira do Tempo













Passageira do Tempo

Viver a felicidade sem nos privar
Pois a vida é... 
Passageira brincadeira do tempo, 
E nos limita de argumentos
Para dela duvidar. 

Jorge Jacinto da Silva Jr.




4 de nov de 2015

Poesia: Meu Interesse











Meu Interesse 

Sou o maior interessado, 
Não por fruto da vaidade,
Em minha felicidade. 

Jorge Jacinto da Silva Jr.



Poesia: Decepções













Decepções 

Fatídico, pessoas as quais amamos 
Por momentos nos decepcionarem, 
Pois normalmente, mais esperamos 
Do que elas possam se entregarem.

Jorge Jacinto da Silva Jr.





3 de nov de 2015

Poesia: Predicado
















Predicado 

Por vezes penso ser tolo sonhador, 
Um conformista atormentado. 
Bem gostaria que minha vida 
Fosse mais verbo que predicado. 

Jorge Jacinto da Silva Jr.








Poesia: Abra o Coração














Abra o Coração 

Não basta somente aos olhos chegar 
Sem a sensibilidade emergir ao coração. 
Viva com intensidade o perceber da emoção 
Da pura felicidade em sua vida entrar.

Jorge Jacinto da Silva Jr.






Poesia: Reais Objetivos





















Reais Objetivos

Muitas vezes nos excluímos... 
Para nós mesmos mentimos.
Erramos tanto na ânsia de acertar, 
Que esquecemos nossos reais objetivos.

Jorge Jacinto da Silva Jr.








30 de out de 2015

Poesia: Crescer
















Crescer 

Estão intimamente ligadas 
A maturidade e atitudes do ser. 
Portanto, Somente chorar,
Não nos faz crescer. 

Jorge Jacinto da Silva Jr.










26 de out de 2015

Poesia: Medo de ser Feliz





















Medo de ser Feliz

Há na busca da felicidade
Alguns momentos de espera.
Talvez por isso, muitos a mandam embora.
Não percebem seu silencioso chegar,
Por não estarem acostumados com ela.

Jorge Jacinto da Silva Jr.





Poesia: Meus Controles



















Meus Controles 

Controlo todas minhas vontades 
Por vezes não me controlando 
Deixando-me viver sem culpa
Na simplicidade desta vida bruta
Assim pouco mais me amando.

Jorge Jacinto da Silva Jr.













20 de out de 2015

Poesia: Desvio de Conduta















Desvio de Conduta 

Talvez não exista remédio...
Mentira é um desvio 
De conduta muito sério. 

Jorge Jacinto da Silva Jr.











19 de out de 2015

Poesia: Meu Futuro

















Meu Futuro

O meu futuro já está assim escrito 
Com letras as quais juntas seu valor, 
Naturalmente significam Amor
No improvável  Livro do Destino.

Jorge Jacinto da Silva Jr.






Poesia: Da Boca pra Fora












Da Boca pra Fora 

Da vida umas de suas farsas
Eu te amo e Bom dia
Duas frases se não escassas 
Hoje da boca para fora ditas.

Jorge Jacinto da Silva Jr.






16 de out de 2015

Poesia: Invenção do Tempo
















Invenção do Tempo 

E vive-se nesta ambiguidade 
O homem na existência tão ingênuo, 
Não satisfeito com sua liberdade 
Inventou para si a prisão do tempo. 

Jorge Jacinto da Silva Jr.

15 de out de 2015

Poesia: Professora




















Professora

Pegou-me às mãos com delicadeza...
Orientou-me com firmeza os enganos.
Mostrou-me que valores são a certeza,
Ensinou-me a escrever “eu te amo”.

Jorge Jacinto da Silva Jr.



14 de out de 2015

Poesia: Declare seus Sentimentos











Declare seus Sentimentos

Não postergue na vida 
A declaração de um sentimento.
O tempo não passa lento e, 
O agora é de razão perdida.

Jorge Jacinto da Silva Jr.

Poesia: Dono da Verdade





















Dono da Verdade 

Para enfim entender, 
É necessário maturidade.
Você é o dono legítimo, 
Mas da sua verdade.

Jorge Jacinto da Silva Jr.






9 de out de 2015

Poesia: Donos do Destino























Donos do Destino 

Comum, e sempre nos enganamos,
Por isso corremos sérios riscos. 
Não somos donos incondicionais
Absolutos de nossos destinos. 

Jorge Jacinto da Silva Jr.





Poesia: Gosto de Mágoa













Gosto de Mágoa 

Mantemo-nos tempos amargos, 
Até passar este gosto de mágoa.
Sabor ríspido na boca encravado
Que só rouba da vida a calma.

Jorge Jacinto da Silva Jr.





8 de out de 2015

Poesia: Quem ama... (fala)













Quem ama...

Quem ama fala o que sente
E dentro de si não se prende
Deixa o Amor se aproximar.

Jorge Jacinto da Silva Jr.



Poesia: Dialogar





















Dialogar 

Dialogar está na sobriedade. 
Da personalidade ajuste fino
De poucas pessoas uma arte
Que nem todas a dominam. 

Jorge Jacinto da Silva Jr.








7 de out de 2015

Poesia: Sentimentos

















Sentimentos 

Sentimentos como livre sentir
Porquanto cegamente confiar 
Nos quais sem desviar o olhar 
São os primeiros a nos trair. 

Jorge Jacinto da Silva Jr.



6 de out de 2015

Poesia: Quem Ama...












Quem Ama...

Quem ama cuida,
Não quando se precisa,
Do planeta se muda!

Jorge Jacinto da Silva Jr.







Poesia: Dominação

















Dominação

Dominar a um Amor 
Ato de extrema besteira, 
Todavia como alimentar 
Um leão sem coleiras. 

Jorge Jacinto da Silva Jr.



5 de out de 2015

Poesia: Sonhar



















Sonhar 

Não precisamos fingir, 
Enganarmos ou mentir, 
Mas devemos sonhar. 

Jorge Jacinto da Silva Jr.






Poesia: Faces












Faces

Eu sou assim, em mim,
Este querer desenfreado
Algo amado ora pecado.


Jorge Jacinto da Silva Jr.

Poesia: Maturidade
















Maturidade

Da vida não são segredos,
Crescemos nos acertos,
Amadurecemos com os erros.

Jorge Jacinto da Silva Jr.