6 de out de 2014

Poesia: Tempo de Partida






















Tempo de Partida

Parte de mim se vai neste adeus.
No verso desta metade partida,
Cortam-se os laços dos quais não há
Muito que guardar de meu passado.

As boas lembranças tornam-se pálidas,
Com sórdidos requintes da crueldade
Do tempo que irá do seu modo
Fazer enganar-me te esquecer de fato.

Restou o motivo triste de não saber,
Se este era realmente o limite
Deste não planejado caso do destino.

Fixam-se nesta sina àquelas incertezas
De minha importância em sua vida,
E se realmente serei por você esquecido.

Autor: Jorge Jacinto da Silva Junior.

Contato: jorge.jacinto@gmail.com







Nenhum comentário:

Postar um comentário