27 de nov de 2015

Poesia: Desgastes















Desgastes

Como nos desgastamos...
Chega um ponto, uma hora,
Que aos poucos ficamos
Sem forças para seguir,
Não temos mais energia
Nem mesmo para explodir.

Contudo, assim é preciso
Prosseguir sempre adiante.
Sem pressa ou castigos
Para o corpo sozinho sentir.
É necessário persistir na vida
Viver o Amor para ser Feliz

Jorge Jacinto da Silva Jr.

Nenhum comentário:

Postar um comentário